Thursday, December 10, 2009

“Já não basta saber fazer”

Esta frase não é minha, é de uma ministrante maravilhosa a qual tive a imensa oportunidade de conhecer e acompanhar uma palestra de 1 hora sobre administração de RH’s.

Poxa, assunto super diferente não é? Mas tem tudo a ver com a vida de um futuro designer. Criar não envolve saber fazer, mas sim pensar em como fazer. A moda lida, acima de tudo, com psicologia e criatividade, o foco está nas pessoas e não na cria, na roupa. A roupa é um simples instrumento para externar uma sensação, um pensamento.

Há muito tempo o trabalho saiu das mãos e passou para a cabeça. Não é mais aceitável que uma pessoa tenha apenas um conhecimento tácito sobre determinado assunto, não é mais aceitável que uma pessoa só se preocupe com o próprio umbigo quando a inter-relação tornou-se fundamental e a preocupação com o outro, uma das qualificações para o mercado de trabalho.

Moda é exatamente isso, pensar, preocupar-se seja em como, quando ou porque fazer.

Moda lida com personalidades, egos, costumes, gostos, gestos, sentimentos e prazeres.

Falando francamente, que sensação boa passar por uma vitrine, olhar uma roupa que é a sua cara e dez minutos depois poder passear com ela sobre sua pele.

Fantástico!

Quem pode decifrar as questões do meio em que se vive e traduzir economia, sociedade e religião em uma peça de roupa, um sapato, uma jóia?

Estilismo é isso! Não se cria nada sem pensar no contexto, na trajetória da sociedade e numa projeção de futuro.

É preciso analisar todos os pontos relevantes na vida de uma pessoa e traduzir estes sinais em uma peça ou várias para compor um quadro do que se vive.

Somos artistas por natureza, está em nossos olhos a capacidade de ver as pessoas como pedaços de vidro, sempre transparentes, por vezes obscuros, mas sempre de forma a serem identificados.


Dicas muito importantes: ler, visitar, perceber, entender, ouvir, cheirar, sentir.

*ler: buscar o máximo de informações acerca de determinados assuntos como política (apesar de ser maçante), revistas, livros, tudo aquilo que as pessoas costumam ler….

*visitar: museus, sarais, festas, centros históricos…

*perceber: não basta ver, é necessário perceber o que acontecer, ver com o cérebro, processar todas as informações visuais e decodificá-las…

*entender: pensar com o corpo todo, somos todos sentidos…

*ouvir: para saber é necessário ver, mas também ouvir muito, tudo aquilo que as pessoas precisam dizer, tudo aquilo que elas querem que seja ouvido….

*cheirar: estar atento à toda e qualquer mudança seja ela física ou comportamental, ter o faro da coisa: perceber de longe uma mudança qualquer….

*sentir: não basta um ser humano ser feito de cérebro e músculos se ele não tiver sensibilidade suficiente para interpretar com sentidos ocultos as informações que chegam até ele, é necessário perceber com o coração também.


Em resumo, é necessário estar atento à tudo o que acontece à sua volta.

“Ter olhos na nuca” não é tão mal assim, tendo em vista que as coisas mudam muito depressa e não podemos nem queremos ficar para trás.

Olhar em todas as direções e das mais variadas formas, ouvir e compreender os outros, suas ânsias, seus sentimentos, aquilo que esperam de você e do mundo.

Fique sempre se olho!




SIGA-NOS @FASHION_INSIGHTBR