Thursday, December 10, 2009

Música + moda + arte

De olho no que de mais contemporâneo se revela nas passarelas e no campo das artes, dois mundos mais unidos do que nunca, Lady Gaga transita com maestria e ousadia por esta tênue linha que separa, ou une, esses dois campos.



Em seu último clipe, Bad Romance, a cantora/atriz/compositora fala de romances mal sucedidos abusando de figurinos incríveis e com uma grande carga dramática. Sua voz parece melhor muito desde o primeiro hit Just Dance. Revela maturidade ao falar de seu trabalho para o Fantástico no último dia 15 e ainda dá um banho de intelectualidade em muitos que se julgam cultos e admiradores das artes.


Em sua trajetória, muitas polêmicas, muitas controvérsias, muito sucesso e muita maquiagem. Assim como acontece com quase todas as celebridades, Lady Gaga não sai de casa com a cara limpa. De dentro de seu mundinho particular para a rua, ela encarna uma diva pop renovada, aberta a excentricidades e loucuras que prendem os olhares de seu público e incita atitudes igualmente contestatórias.


Em suas palavras “Eu acho que tinha sim um espaço aberto para um chamado de liberação – um pouco de escapismo. E isso é minha arte – minha arte é de liberação. Assim, tudo – as músicas, os vídeos, as roupas que uso – tem um pouco de ilusão de algo que não é real… Como uma história, um universo alternativo surreal – e é para esse lugar que eu quero levar meus fãs!”


Me pergunto: não seria ela um novo Harry Potter? estamos falando de uma realidade alternativa, criada para fugir, ou pelo menos, nos escondermos daquilo que não gostamos ou não temos ainda a capacidade de lidar. Na vida do bruxinho (nem tão “inho” assim) sua vida muda quando passa a frequentar uma realidade diferente, atraente e altamente cheia de novidades. A cantora faz o mesmo ao oferecer uma carona para este mundo fantasioso em que se pode ser e fazer o que quisermos. São apenas 5 minutos dentro desta realidade cheia de quadros pitorescos mas que nos fazem perguntar: porque não?


Ouço atônito pessoas desqualificarem o trabalho dela sem ao menos TENTAR entender como uma cabecinha loira consegue imaginar cenas como as vistas no clipe de Bad Romance.


Prefiro pensar que é pelo fato de que pensar dói. As pessoas querem respostas concretas, objetivas e não questionamentos filosóficos sobre sua sociedade, sobre seus sentimentos. Querendo ou não, fomos condicionados a não pensar. Ainda mais que trabalha com algum segmento de moda.


Ah, o styling dos clipes da cantora é do Nichola Formichetti, um dos mais celebrados produtores de moda da atualidade. O cara tem na batura publicações como Vogue, I-D, Dazed, e carrega parcerias incríveis com Hedi Slimane, outra figuraça do mundo da moda com um currículo de dar inveja: o fotógrafo foi o estilista da Dior Homme antes de Galliano.

SIGA-NOS @FASHION_INSIGHTBR