Tuesday, July 13, 2010

Os magrelos e a moda
















Reparou em algo nas fotos acima?

Volte e tente encontrar algo em comum, além da sensualidade e a magreza dos modelos.

Eleitos por muitas mulheres – e homens – como o oposto à beleza madura e com barbas, os modelos magrinhos ganham destaque em campanhas e editoriais assinando uma espécie de marca e de reviravolta neste mercado que preza um corpo malhado, esculpido com horas na academia e uma alimentação controlada.

Porém não é difícil entender os motivos que levam um fotógrafo a escolher um modelete com cara de criança, corpo magrelinho e frágil e um sorriso maroto. Os caras são cheios de atitude.

Caras e bocas não tem medida em frente às câmeras e eles topam tudo: de poses virados com a cabeça para baixo a insinuações de relações homoafetivas, os caras provam que não é necessário um corpão malhado para ser famoso e apostam alto suas fichas na atitude e cara de pau (no bom sentido, claro) para afirmar seu espaço neste mercado.

Um outro fator para esta tendência é o fato do gosto das mulheres estar mudando. Recentes pesquisas mostram que o perfil do homem/mulher ideal foge um pouco daqueles ditados pela década de 80 e que continuam vigorando em algumas academias perto de você. Quer um exemplo? Robert Patinson, Shia LaBeouf, Bobby Bazini, Fiuk. Tudo trata-se de um jogo de o que atrai quem. Ideais de beleza variam, porque “gosto não se discute”, mas é interessante reparar na forma como as pessoas se relacionam e o tipo de físico de procuram.

Mas muita calma nesta hora. Não digo que os modelos fortões também não tenham mais valor no mercado, muito pelo contrário. Eles continuam valorizados, sim, mas as campanhas para as quais trabalham se voltam para um público diferenciado.

Em geral são peças publicitárias de underwear, t-shirts com modelagens ajustadas, enfim. Sempre tem espaço para todos neste mercado.

 
 
 
*texto originalmente publicado por mim no blog da J&J Comunicação.

SIGA-NOS @FASHION_INSIGHTBR